13 razões para vestir preto no 7 de Setembro

Roupas pretas e rostos pintados de verde-amarelo. Assim estarão os estudantes que irão às ruas no próximo sábado (7) para protestar contra o desmonte da educação pública no governo Bolsonaro (PSL) e contra a destruição da Amazônia. Segundo a União Nacional dos Estudantes (UNE), a ideia é manifestar “luto” em relação às políticas de Bolsonaro, sem abandonar as cores da bandeira nacional.

“Bolsonaro soltou uma declaração convocando os brasileiros e brasileiras a irem às ruas no dia 7 de camisa verde amarela. Nós já estávamos convocando o ato do dia 7 como mais um dia em defesa da educação e em defesa da Amazônia, contra as queimadas, que vai se somar ao Grito dos Excluídos. Com essa declaração do Bolsonaro, a gente revive um pouco do que aconteceu na época em que o [ex-presidente Fernando] Collor fez a mesma convocação, e os estudantes foram às ruas de caras pintadas”, explica Julia Aguiar, diretora de políticas educacionais da UNE no Rio de Janeiro.

A estudante se refere às manifestações de rua de 1992 que precederam o impeachment do então presidente da República.

1. Entrega da base de Alcântara
2. Fim do anti dumping para o leite importado
3. Cota de importação de 750 mil toneladas de trigo
4. Entrega da EMBRAER à BOEING
5. Ampliação da importação de Etanol 
6. Liberação unilateral de visto
7. Enorme ampliação de importação de gasolina , óleo diesel , gás e querosene de aviação mantendo ociosos 30% da capacidade de refino da Petrobras
8. Entrega dos gasodutos a preço vil
9. Entrega do controle da BR DISTRIBUIDORA por preço fraudado (pagaram o valor de varejo quando o valor devido seria muito maior em oferta pública dada a transferência do controle).

10-Extermínio de índios

11-Amazônia em chamas

12-Privatização dos Correios

13-Queiroz, 39 kg de cocaína, Flávio Bolsonaro, morte de Marielle, lambança com aviões e helicópteros da FAB

Nenhuma descrição de foto disponível.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*