CUT e petroleiros visitam Lula e falam da emoção do ex-presidente com título recebido em Paris

Vigília Lula Livre, em Curitiba, recebeu a visita de sindicalistas da CUT e do setor petroleiro

São Paulo – A Vigília Lula Livre funciona como um centro de resistência em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, desde o primeiro dia de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 7 de abril de 2018. Na tarde de ontem (3), a Vigília foi tingida de laranja, a cor dos coletes dos petroleiros. Neste dia de mobilização em defesa da soberania nacional, contra a sanha privatista do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Lula recebeu visita do coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, e do secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre.

O dia, além das lutas em defesa da Petrobras, contra as privatizações programadas pela agenda de Bolsonaro, foi marcante para Lula. Ele foi homenageado com o título de Cidadão Honorário de Paris, honraria que apenas 17 pessoas ostentam. “Foram os Nobéis da Paz que receberam essa homenagem, além de perseguidos políticos. O mundo sabe que Lula é um preso político”, afirmou Sérgio Nobre, após a visita.

Denúncia

Nobre apontou a obstinação e pragmatismo do ex-presidente. O tempo é de resistir aos desmandos da extrema-direita. “Lula está indignado com a privatização da Petrobras e todas as estatais. Patrimônios do país que, sem elas, não há desenvolvimento. Indignado com a pobreza, com o desmonte dos direitos sociais. Famílias com crianças dormindo nas calçadas, coisas que o presidente tinha erradicado”, disse.

Por este motivo, o ex-presidente pede engajamento social. “Lula pede que façamos a denúncia de que essa realidade pode ser alterada. Com o povo, com o movimento social em cada esquina, com o movimento sindical nas fábricas. Essa é nossa tarefa para derrotar um governo de desmonte, golpista e miliciano do Bolsonaro.” Dentro desse contexto, Sérgio lembrou que a CUT realiza na semana que vem, de segunda a quinta (7 a 10), seu 13º congresso (Concut), que homenageia Lula. “É de fundamental importância a liberdade dele que tem a ver com os direitos da classe trabalhadora”, completou.

Ação

Rangel, por sua vez, disse que é necessário sair do discurso Lula livre “vazio”. “Temos que afirmar o porquê de Lula estar preso e o porquê de queremos ele livre. Lula é um preso político. A cada dia que passa mais e mais entidades reconhecem. Ele está preso porque ousou fazer com que o povo brasileiro andasse de cabeça erguida. Não abaixou a cabeça para os Estados Unidos. Sempre cuidou da soberania. Esse é um ponto central”, afirmou.

Como ação central, Rangel coloca a defesa das estatais e da soberania. “Temos que defender a soberania, nossas riquezas, as empresas estatais, as águas e as matas. Tudo isso está sendo perdido. Cabe a nós irmos para as ruas com mais tesão denunciar que a Lava Jato é criminosa que assaltou o Brasil. Os verdadeiros criminosos são Moro e Dallagnol. Eles deveriam estar encarcerados.”


Vereador Patrik Klugman defende título de Cidadão de Paris a Lula

REGISTRADO EM: 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*