Desempenho do Colégio Bandeirantes no PISA for Schools supera Coreia e Finlândia

O colégio foi escolhido para participar do projeto piloto do PISA for Schools no Brasil, aplicado em novembro de 2017  

O projeto piloto do Pisa for Schools, com participação do Colégio Bandeirantes, realizado em 2017 e publicado em 2018, revelou que o desempenho dos alunos do Band foi superior a países como Suécia, Japão, Coreia e Finlândia.  Os estudantes se destacaram nas quatro dimensões avaliadas: o que os alunos sabem e são capazes de fazer em leitura, matemática e ciências; ambiente de aprendizagem e engajamento dos alunos na sua escola; os resultados de sua escola no contexto internacional e excelência e equidade em sua escola.

O Pisa for Schools é uma avaliação voluntária, aplicada a pedido das escolas, e baseada no Programme for International Student Assessment (Pisa), da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que avalia conhecimentos de matemática, ciências e leitura de estudantes de 15 anos. São utilizadas as mesmas matrizes de referência e métricas usadas no PISA, renomada avaliação internacional de desempenho dos estudantes aplicado em mais de 70 países, permitindo a comparação dos resultados entre os dois exames.

De acordo com Claudio Pinheiro, Coordenador de Processos de Avaliação Acadêmica e da Coordenadoria de Futuro e Carreiras do Colégio Bandeirantes, os alunos obtiveram altos níveis de proficiência em leitura, matemática e ciências, ao mesmo tempo em que foram apontados pontos de melhoria. “As medidas de ambiente de aprendizagem sinalizaram uma relação afetiva e construtiva entre os alunos e os professores, acima da média nacional, assim como nos aspectos medidos relacionados ao engajamento e à dedicação aos estudos. A equidade entre os alunos mostrou-se boa, com uma diferença de desempenho entre os alunos mais e menos proficientes inferiores às da média nacional e de sistemas internacionais apontados”, afirma.

Pinheiro ainda acrescenta que “o grande destaque foi a comparação do desempenho do Bandeirantes em relação aos sistemas nacionais de destaque, caso do coreano, chinês, japonês e finlandês, dentre outros, em que se verificou que a média dos nossos alunos foi muito superior ao da média desses países”.

Segundo o coordenador a seleção das escolas leva em conta a tradição da instituição e seu desempenho em avaliações de larga escala, como é o caso do Enem, no Brasil. “O projeto visa a identificar práticas feitas nessas escolas que podem servir de inspiração para outras escolas e para políticas públicas. Dessa forma, é um privilégio para o Bandeirantes ser reconhecido como uma escola de referência para a educação brasileira, poder identificar seus pontos fortes e a melhorar e contribuir para o incremento do ensino no Brasil”, afirma.

Durante o processo, 69 alunos participaram da avaliação e os itens foram elaborados pela OCDE e traduzidos para o português. A responsável pela implementação da prova no Brasil foi a Fundação Lemmann, que contratou a Cesgranrio para a operacionalização do exame. A avaliação teve a duração total de 2h30 minutos, nos quais foram aplicadas questões de resolução de problemas de matemática, leitura, ciências e um questionário contextual, que perguntou sobre a relação dos alunos com os professores, com os estudos e o acompanhamento da família. A escola também respondeu a um questionário, com dados sobre o porte da instituição(quantidade de alunos), a quantidade de estudantes por gênero e outros aspectos quantitativos.

Após o projeto piloto, a avaliação será realizada pela primeira vez no Brasil em data a ser definida e será aplicada em diversas escolas, incluindo o Colégio Bandeirantes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*