Freixo crava candidatura à Prefeitura do Rio em chapa com o PT

Deputado federal será o nome da esquerda para tentar tirar Crivella. E com apoio total de Lula

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL/RJ) confirmou, neste sábado 9, sua candidatura para a Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro com uma coligação inédita incluindo PT, PV e, possivelmente, Rede e PCdoB. A posição de vice ainda não foi confirmada.

A ideia de se fazer uma coligação com os partidos de esquerda vinha acontecendo durante o ano de 2019, mas encontrava dificuldade de fixar um nome. O ex-presidente Lula cogitou indicar, para representar o PT, a deputada federal Benedita da Silva, mas voltou atrás e bateu o martelo no candidatura de Freixo.

Havia também uma disputa interna no PSOL para definir um nome. O vereador carioca Renato Cinco chegou a criticar Freixo por antecipar sua candidatura e se lançou como pré-candidato à Prefeitura pelo partido.

Segundo Freixo, seu nome já está definido e a intenção agora é que em outras cidades essa aliança da esquerda se repita. “É muito importante que esse campo possa estar unido porque ganhar em 2020 nas principais cidades é muito importante para ganhar em 2022”, afirmou o deputado.

Freixo e Lula

Nesta sábado, Freixo esteve ao lado de Lula durante a volta do ex-presidente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, após ficar 580 dias preso em Curitiba. Lula elogiou o trabalho do deputado do PSOL e disse que ele o acompanhará na caravana que o petista fará pelo Brasil.

Freixo também elogiou Lula e disse que, sempre que possível, acompanhará o petista nesse caminhada pelas cidades. “Lula tem um papel que é singular. Não à toa é um dos presidentes mais queridos e amados do Brasil. Ele cumpre um papel essencial no campo progressista”, afirmou o deputado.

Em 2016, Freixo, ainda deputado estadual pelo Rio, chegou a disputar a Prefeitura da cidade e foi para o segundo turno contra Marcelo Crivella, atual prefeito. Na ocasião, o PT se recusou a fechar com o PSOL e lançou a candidatura de Jandira Feghali, do PCdoB, para a disputa.

Carta Capital

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*