Porteiro pode ter ligado para celular de Bolsonaro

(Foto: REUTERS/Adriano Machado | Reprodução)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro quer saber para que número o porteiro do condomínio Vivendas da Barra telefonou em 14 de março do ano passado, data em que foi cometido o assassinado da então vereadora do Rio Marielle Franco. No condomínio mora Jair Bolsonaro. Porteiros ligarem diretamente para moradores em condomínios da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, tem sido uma prática normal por conta da diminuição do uso do telefone fixo.

De acordo com reportagem veiculada pelo Jornal Nacional, porteiro do condomínio contou à polícia que, horas antes do assassinato, o outro suspeito do crime, Élcio de Queiroz, entrou no local e disse que iria para a casa de Bolsonaro, na época deputado federal. Os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que o então parlamentar estava em Brasília no dia. O ocupante do Planalto acionou Moro para que o porteiro seja ouvido pela Polícia Federal (leia mais aqui).

Brasil 247

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*