Witzel propõe criação de comissão de governadores para combater tráficos de drogas e armas

Proposta foi feita durante o 7º Fórum Nacional de Governadores, em
Brasília

O governador Wilson Witzel propôs, nesta terça-feira (8/10), a criação de
uma comissão dos governadores para definir estratégias para que as polícias
estaduais trabalhem de forma integrada com as polícias Federal e Rodoviária
Federal. O objetivo é que os estados colaborem com a política de
enfrentamento ao tráfico de drogas e armas. A sugestão foi feita durante o
7º Fórum de Governadores, em Brasília.

– O problema da segurança não é só o orçamento. É a falta de harmonia entre
as polícias para realizarem seus trabalhos. A área já consome muito do
orçamento dos estados. O que precisamos é organizar a casa. Já fizemos isso
no Rio de Janeiro, acabando com a Secretaria de Segurança e despolitizando
e dando autonomia às polícias – disse o governador.

Wilson Witzel também solicitou aos governadores apoio para impedir a
entrada de drogas, armas e munições nas fronteiras e portos do país.

– A quantidade de armas de guerra que está entrando no Brasil e passa pelos
nossos portos é enorme. Precisamos agir na raiz do problema. É um absurdo o
que o crime organizado faz nas fronteiras para comandar o comércio de
drogas e armas. As armas mal chegam no Paraguai e já entram no Brasil. O
que precisamos fazer é unir os estados contra países que estão permitindo o
repasse dessas armas – afirmou.

No próximo fórum, em novembro, a comissão sugerida por Witzel vai
apresentar propostas a respeito dos critérios de distribuição de recursos
do Fundo Nacional de Segurança para os estados e de ações conjuntas para
combater o tráfico nas fronteiras.

*Fórum*
No evento, que reuniu os chefes do poder Executivo dos estados e do
Distrito Federal, foi discutida ainda a continuidade do Fundo de Manutenção
e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da
Educação (Fundeb), que tem previsão de ser encerrado em dezembro de 2020.

*Crédito: *Danilo Oliveira

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*